Documento de conferencia

A recuperação das fachadas do edifício do IRB, monumento da arquitetura modernista brasileira, no Rio de Janeiro

|
Resumen

O edifício do IRB- Instituto Brasileiro de Resseguros, foi projetado pelo escritório MMM Roberto em 1941, e nele os arquitetos colocaram em prática as pesquisas que já vinham desenvolvendo sobre o uso do brise no controle da luz intensa do Rio de Janeiro. O projeto do IRB, não só incorporou esse elemento, já sedimentado no repertório modernista, como inovou ao trazer para o partido duas novas experiências, que tornaram o edifício um símbolo na evolução do estilo que iria seria conhecido como arquitetura modernista brasileira: a inserção de movimento na geometria rígida estabelecida pelos princípios do modernismo; e o uso de modulação que permitiu criar um dos primeiros edifícios, do Brasil, a utilizar elementos construtivos pré-fabricados. O edifício tem as fachadas totalmente revestidas por um tipo de mármore de estrutura laminar, um material de que não há mais jazidas conhecidas no país, e que se encontrava alterado pelo intemperismo a ponto de se destacarem placas da fachada. Procedeu-se então ao estudo dos materiais e das condições do ambiente, para que fosse possível detectar as causas das patologias e erradicá-las ou minorá-las sensívelmente. Foram testados e propostos métodos de limpeza e consolidação do mármore da fachada e de sustentação das placas que ameaçavam desprendimento.

Palabras clave
mármol
fachada
restauración
conservación
http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Esta obra se publica con la licencia Creative Commons Attribution 4.0 International (BY 4.0)

item.page.license
Imagen en miniatura