Documento de conferencia

O caso Maracanã: a arquitetura moderna e as teorias de restauro

Resumen

A definição de Patrimônio Cultural passa pela conscientização da importância do bem (material ou imaterial) e o valor que ele agrega à sociedade para a formação de sua identidade cultural. Nesse sentido, a teoria do restauro oferece parâmetros para o reconhecimento dos “bens de interesse”, sua preservação e o modo de atuar sobre eles. Mas, conceitualmente, torna-se necessária a criação de instrumentos para melhor percepção dos testemunhos patrimoniais de épocas mais recentes da história, especificamente a arquitetura moderna no século XX, que sofre silenciosamente a ação do tempo, seja pela falência de sua matéria ou pelo legado de testemunhar o crescimento desumano de seu próprio tempo. O estudo de caso apresentado é o Estádio Jornalista Mário Filho, conhecido como Maracanã, localizado no Rio de Janeiro, e inaugurado em 1950 com o objetivo de abrigar a Copa do Mundo de 1950. Com capacidade para 200.000 pessoas, o maior estádio do mundo tornou-se palco de grandes momentos do futebol brasileiro e mundial, por onde passaram jogadores que fizeram histórial, como Pelé , Garrincha, Zico, entre outros. Fatos importantes como o milésimo gol de Pelé, Copa do Mundo de Futebol de 1950, e outros torneios, contribuíram para a consolidação do Maracanã como “Templo do Futebol”. Porém, apesar do reconhecimento nacional, teve destruídas algumas de suas importantes características formais, para atender aos eventos que o Rio de Janeiro vem recebendo desde 2000, incluindo-se a Copa do Mundo de 2014.

Palabras clave
Maracanã
arquitetura
modernidade
restauro
http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/

Esta obra se publica con la licencia Creative Commons Attribution 4.0 International (BY 4.0)

item.page.license
Imagen en miniatura