Estudo da tecnologia construtiva das esculturas em marfim

cic.isFulltexttruees
cic.isPeerReviewedtruees
cic.lugarDesarrolloLaboratorio de Entrenamiento Multidisciplinario para la Investigación Tecnológica es
cic.versioninfo:eu-repo/semantics/publishedVersiones
dc.date.accessioned2016-02-04T13:59:09Z
dc.date.available2016-02-04T13:59:09Z
dc.identifier.urihttps://digital.cic.gba.gob.ar/handle/11746/1599
dc.titleEstudo da tecnologia construtiva das esculturas em marfimpt
dc.typeDocumento de conferenciaes
dcterms.abstractO marfim é um material orgânico obtido a partir dos dentes dos elefantes. Por semelhança, este nome foi também dado para os dentes de outros animais utilizados para o mesmo fim – a escultura. De acordo com sua estrutura anatômica e composição química, pode ser considerado um elemento intermediário entre o osso e o chifre. Devido as suas propriedades termoplásticas, foi um dos primeiros materiais orgânicos poliméricos naturais conhecido e dominado pelo homem. Os gregos antigos foram os primeiros a registrar e desenvolver técnicas, dentre as quais, submetê-los a ação de calor ou vapor d’água explorando seu caráter termoplástico. O marfim foi utilizado como matéria-prima para esculturas durante vários períodos históricos, nas mais diversas civilizações na elaboração de objetos que variavam dos primitivos bastões de mando utilizados pelo homem pré-histórico às esculturas religiosas indo-portuguesas. Em relação as seus aspectos visuais, a procedência do marfim influência nas características do material. Por exemplo, os dentes dos elefantes provenientes da Ásia eram mais brancos que os de procedência africana, de textura menos fechada, porém, não susceptível ao polimento. O tipo mais refinado e que proporcionava melhor acabamento era proveniente da região chamada Pagani, no leste da Costa da África. A facilidade ou dificuldade no entalhe também era influenciada pelas características específicas apresentadas pelo material. Um marfim obtido de um hipopótamo era bem mais duro por apresentar esmalte e cemento que precisavam ser removidos previamente, e por ser oco em quase toda sua extensão, era utilizado apenas para elaboração de objetos pequenos. O objetivo deste estudo é descrever algumas técnicas antigas utilizadas na confecção de esculturas em marfim, abordando questões relacionadas a matéria-prima, tecnologia construtiva e alguns critérios para conservação destes bens.pt
dcterms.creator.authorFrança, Conceição Linda dees
dcterms.creator.authorMelo Barboza, Kleumanery dees
dcterms.creator.authorQuites, Maria Regina Emeryes
dcterms.descriptionTópico 2: Conservación y restauración de pinturas, cueros, textiles y metales.es
dcterms.extent18 p.es
dcterms.isPartOf.issueI Congreso Iberoamericano y VIII Jornada de Técnicas de Restauración y Conservación del Patrimonioes
dcterms.isPartOf.seriesJornada de Técnicas de Restauración y Conservación del Patrimonioes
dcterms.issued2009-09
dcterms.languagePortuguéses
dcterms.licenseAttribution 4.0 International (BY 4.0)es
dcterms.publisherLaboratorio de Entrenamiento Multidisciplinario para la Investigación Tecnológica (LEMIT)es
dcterms.subjectmarfiles
dcterms.subject.materiaIngeniería de los Materialeses
Archivos
Paquete original
Mostrando1 - 1 de 1
Imagen en miniatura
Nombre:
T2-17.pdf-PDFA.pdf
Tamaño:
4.91 MB
Formato:
Adobe Portable Document Format
Descripción:
Documento completo